19 junho 2020

Baú de memórias: Escuta das crianças

Hoje tem Baú de Memórias, oba! Vamos relembrar dos momentos, de nossa prática diária, que as vozes das crianças ecoaram e tocaram nosso coração, determinando nossos fazeres, nossos próximos passos. A escuta das crianças é para nós um alimento, você sabia? Porque nutre nossos planejamentos e projetos. Somos guiados por essas vozes. Traçamos novos caminhos, mudamos nossas rotas, e não perdemos de vista a alegria que é  caminharmos juntos na construção do conhecimento...desbravando mundoS! O vídeo traz um pouquinho dessas práticas, que conectam as vozes das crianças ao nosso coração! Confiram.


Enquanto escola pública, da rede municipal de São Paulo, somos norteados por documentos que orientam e embasam as concepções de nosso PPP, nossos projetos e práticas. E estes são unânimes em apontar a importância da escuta das crianças na construção de seus fazeres, organização de espaços e tempos etc. Assim como apontado no Curriculo da Cidade Educação Infantil, as crianças "falam" de muitas maneiras, aos adultos resta uma escuta sensível à expressão das crianças.


"... As múltiplas linguagens correspondem aos modos como bebês e crianças comunicam uma ideia, uma informação, um sentimento, uma necessidade: desde o choro até a maneira como brincam e se movimentam, correm e dançam, seus desenhos, suas pinturas, suas atitudes, o que dizem, enfim, como expressam o que vão aprendendo, o que estão sentindo, o que querem e do que precisam..." (Currículo da Cidade - Educação Inafantil. p.100)

Vejam o que pensam as professoras sobre a importância da escuta das crianças, e como essa nos constitui enquanto grupo, enquanto escola...

A escuta na infância é algo primordial, é através dela que podemos compreender o que as crianças estão sentindo e pensando ou como estão interpretando determinada situação. Conversem com suas crianças, escutem-as! Isso fará toda a diferença  em seu desenvolvimento e na relação adulto/criança! (Professora Arline Midori)

Ouvir é diferente de escutar, ouvir é biológico, ouvimos os sons que estão ao nosso redor. Escutar significa dar atenção. Na Educação Infantil usamos a escuta para compreender nossas crianças em sua complexidade, respeitando sua individualidade e forma de ser, na rotina das vivências ajuda a criar bons relacionamentos, minimiza conflitos e desenvolve a empatia despertando o olhar de que as pessoas precisam ser ouvidas , ser ajudadas em suas vidas e na construção de seus saberes. (Professora Cristiane Moraes)  

Escutar a criança é a melhor maneira de construir e reforçar vínculos com elas. Se você a escuta com atenção, você conhece seus desejos, seus medos,  amarguras, alegrias,  habilidades, seus sonhos...E quando ela percebe que você realmente a conhece, ela confia mais em você e deixa o caminho aberto para tantas outras emoções, sentimentos e situações: afeto, gentileza, aceitação, acolhimento, diálogo. Tudo depende do olho no olho, da presença. E nunca se esquecendo de que não basta estar ao lado, tem de estar junto. (Professora Daniely Nobre)

Escutar significa estar presente, estar inteiro, querer saber, interessar-se, levar em consideração, importar-se... escutar é acima de tudo uma ato de amor! (Professora Daniela Maia)

Proporcionar a escuta é uma maneira de estimular os pensamentos da criança, estreitar laços afetivos e criar empatia na relação. Quando as crianças se sentem ouvidas, elas se sentem valorizadas, especiais, felizes e tendem a expressar-se mais, pois sua autoconfiança estará fortalecida. (Professora Carla Bregola)

As crianças precisam sempre ser ouvidas para se sentirem amadas e seguras, isto é muito importante  dentro de seu ambiente  de relacionamentos porque quanto mais a criança se sentir apoiada melhor será seu desenvolvimento.Devemos também respeitar os sentimentos delas e demonstrar curiosidade por tudo que lhes diz respeito, porque a criança tem seus próprios problemas e para elas é muito difícil não ficar chateada ao perceber que o que ela diz não tem importância nenhuma para o adulto, ser escutada vai ajudar a criança a desenvolver uma imagem positiva de si mesmo e melhorar a autoestima e consequentemente a torna  também uma criança mais feliz. (Professora Laís Pires)

Por tudo isso nossa escola poderia ser chamada de "escutadeira", aquela que primeiro abre os ouvidos e o coração e só depois, juntos, planeja e constrói seus cotidianos. O que as crianças tem a nos dizer? Como e em que momento se expressam? O que podemos fazer com essa escuta? Essas e muitas outras questão podem ser esclarecidas numa conversa com a Antropóloga, Mestre em Educação e Pedagoga Adriana Friedmann, no portal Lunetas. Não deixe de conferir!

Desafio#1: Vamos confeccionar um microfone!

Que tal confeccionar um microfone? Ele pode ser um meio lúdico e brincante de estimular a livre expressão das crianças. O vídeo, do canal Start Arte, aponta uma possibilidade de materiais para a construção do brinquedo, mas que podem ser perfeitamente adaptado com os materiais que temos em casa. Use toda a sua criatividade e mãos a obra!


Você pode fazer sua bolinha de papel, usar cola branca e colorir como preferir.  


É importante lembrar que, de acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), o tempo de tela para crianças de 4 a 5 anos (seja de celulares, computadores ou televisores) deve ser de, aproximadamente, 60 minutos ao dia!

E não deixem de fazer seu comentário no nosso blog, tirem fotos e filmem! Registrem este momento! Vocês podem também nos encontrar no Google Classroom (para aprender a acessar, clique aqui)! Convidamos todas e todos a preencher o nosso questionário: ele nos dará pistas para descobrir como poderemos auxiliá-los neste momento tão complicado!

Roteiro, seleção de materiais e texto: Daniela Maia
Colaboração: Arline Midori, Cristiane Moreira, Daniely Nobre, Carla Bregola, Lais Pires
Edição do vídeo: Catarine Montanari
Vinheta: Fernanda Fusco
Efeitos sonoros: FreeSound.org
Trilha sonora: Daily Beetle (Kevin MacLeod - Incompetech)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

https://1.bp.blogspot.com/-6XvqrgRUtmE/XpAnsq0hy8I/AAAAAAAAOMM/XQaf2shwZRQ_UjLVPe3AFHYV0yisWRzRACLcBGAsYHQ/s1600/footer2.png