06 julho 2020

Massagem: Acalma e cria vínculos afetivos

A vida, mais do que nunca, está uma loucura! São tantos sentimentos fluindo por nosso corpo e mente. Muitos deles se confrontando. Então, precisamos muito fazer mais um esforço além de todos aqueles que nossa nova realidade nos impõe: RELAXAR! Procurar maneiras de descansar, equilibrar, revigorar o corpo, a mente e as emoções. Para justamente continuarmos dando conta de todos os desafios diários.  Na semana passada eu trouxe como proposta uma das coisas que mais ajuda a mim e aos meus filhos neste objetivo: A dança! A gente ama! Afinal, as crianças também precisam muito de momentos para relaxar. E se for aliado ao prazer e à saúde, melhor ainda. Então, minha sugestão de hoje aparentemente propõe exatamente o contrário do que a dança proporciona com todos os seus movimentos. Mas tem semelhanças com a dança sim, afinal também relaxa, traz benefícios à saúde e cria vínculos afetivos. Humm… MASSAGEM!


Além de todos os benefícios que ela nos traz (já já eu listo alguns), tenho um vínculo afetivo muito grande com esta prática. Minha mãe sempre fez em mim, todas as noites antes de eu dormir desde que eu era bebê. E mesmo depois de “moça feita”, como diria minha avó, quase todos os dias deitava no colo da minha mãe, no sofá, e ganhava a amada massagem. Que saudade! Como me fazia bem! Até que eu virei mamãe e transferi a tradição para meus filhotes. E hoje são eles que não passam um dia sem a massagem da mamãe aqui.


Iniciei quando eles eram bebês, com a técnica famosa já chamada Shantala. Uma técnica indiana, que recebeu este nome em homenagem a jovem mãe de mesmo nome, que realizava a massagem em seu bebê, quando um médico francês passava por ali, presenciou este ato tão adorável na relação de cuidado e afeto entre uma mãe e seu filho, e tratou de divulgar pelo mundo o que na Índia já é tradição milenar. Nas orientações para a prática da Shantala existe uma sequência de alguns movimentos, todos com determinados objetivos. As crianças adoram e você não precisa ser massagista profissional para realizar. Na internet você encontra diversas publicações a respeito dessa técnica.

Contudo, qualquer massagem que você criar com seu filho (a) será muito bem-vinda por eles(as). Com minha mãe eu tinha os movimentos preferidos que nós inventamos: apertão, "cosquinha", beliscão, entre outros. Minha filha já criou os dela: pianinho, esfregão, “maquiagem”. Pois é! Certo dia, eu brinquei fingindo fazer maquiagem nela, fui apenas passeando meus dedos contornando o rostinho dela em diversos movimentos. Ela quis retribuir em mim. E assim nasceu a “massagem da maquiagem”. Uma das preferidas dela hoje. Há crianças que sentem dificuldade no início, dizem fazer cócegas ou simplesmente não estão acostumadas ao toque. Acredito que são esses casos que merecem mais nossa dedicação e persistência. Mas com sutileza e sensibilidade, para não assustar e bloquear a prática. Respeitar os limites, “ir com calma” é fundamental.

Em minha casa nosso ritual diário é a noite, ao deitar, quando os dois ganham massagem. Mais simples, rápida e descompromissada do que uma Shantala. Mas acelera muito a chegada do soninho, traz a calma, o silêncio e, acima de tudo, a troca de energia repleta de amor e carinho. Bernardo prefere só nos pezinhos. Heloisa pelo corpo todo. Mas sempre que surge outra oportunidade como no sofá assistindo um filme ou em um momento planejado, temos massagem de novo. Nestes momentos planejados capricho colocando músicas infantis, mas que tragam calma. Luz mais fraca, incenso pra dar “um clima” (Eu adoro o cheiro e eles também. Mas é um gosto muito particular.) Se calor, pouca roupa ou nenhuma e um creme ou óleo corporal infantil. Duro depois é nós, grandinhos, ficarmos na vontade. Então, mesmo tendo o privilégio de ter em casa quem possa retribuir em você uma bela sessão de massagem, dê ao seu filho ou sua filha o imenso prazer de te presentear com a massagem deles. O toque das suas mãozinhas com carinho, atenção, cuidado, num momento todo reservado e íntimo é tônico e calmante sem igual. Pois traz junto o mais sincero e puro amor.

Ao longo do texto eu já citei alguns benefícios ocasionados pela massagem. Mas segue agora uma lista, para ficar mais visível ainda o que seus pequenos e você estão perdendo, caso ainda não tenham este hábito entre vocês.

Hum! A prática da massagem:
1. Constrói e reforça vínculos afetivos e de confiança.
2. Reduz insônia e ansiedade
3. Relaxa o corpo e a mente
4. Disciplina a respiração
5. Melhora circulação sanguínea e funcionamento do intestino
6. Amplia a consciência corporal
7. Auxilia no tratamento de dores: De machucados, se bem orientada por um profissional. Ou após uma atividade intensa, uma brincadeira que exigiu mais esforço, causou estresse em alguma parte do corpo.
8. Diverte, quando é realizada de forma mais lúdica, acompanhada de músicas ou papos pertinentes à situação. 

Se aprofundarmos o conteúdo, descobriremos mais outros tantos benefícios, técnicas e sugestões. Mas deixo para sua curiosidade correr atrás destes outros caminhos e informações. Termino por aqui, torcendo para que vocês adquiram o hábito da massagem que tanto prazer, afeto e cuidado nos traz.

Desafio #1: Para gente grande

Aprenda a fazer a Shantala, indicada para bebês e crianças até 7 anos. Mas na verdade, até os adultos gostam!



Desafio #2: Para gente pequena

Que tal você criar um momento de massagem para você e seus pais, irmãos ou quem mais estiver perto de você? Dicas:
1. Pense em quem você vai convidar para receber sua massagem e faça o convite.
2. Escolha o cantinho onde irá acontecer a sua sessão de massagem.
3. Peça apara um adulto te ajudar a escolher uma trilha sonora relaxante. Nós te ajudamos deixando uma playlist bem bacana.
4. Pense nos movimentos que você vai fazer. Se quiser, treine em uma boneca ou boneco antes.
5. Faça a massagem.
E então? Como foi? Conta pra gente.
E, melhor ainda, peça que alguém faça em você também.

Desafio #3: Playlist

Mais uma playlist. Desta vez, para a pausa, a calma, para ouvir o coração, os sons a sua volta, seus pensamentos e sentimentos. Boa viagem...


É importante lembrar que, de acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), o tempo de tela para crianças de 4 a 5 anos (seja de celulares, computadores ou televisores) deve ser de, aproximadamente, 60 minutos ao dia!

E não deixem de fazer seu comentário no nosso blog, tirem fotos e filmem! Registrem este momento! Vocês podem também nos encontrar no Google Classroom (para aprender a acessar, clique aqui)! Convidamos todas e todos a preencher o nosso questionário: ele nos dará pistas para descobrir como poderemos auxiliá-los neste momento tão complicado!

Roteiro, seleção de materiais e texto: Daniely Nobre
Edição de vídeo: Daniely Nobre e Daniela Maia
Vinheta: Fernanda Fusco
Efeitos sonoros: FreeSound.org

Um comentário:

https://1.bp.blogspot.com/-6XvqrgRUtmE/XpAnsq0hy8I/AAAAAAAAOMM/XQaf2shwZRQ_UjLVPe3AFHYV0yisWRzRACLcBGAsYHQ/s1600/footer2.png