10 setembro 2020

Autorretrato: Um maneira de olhar

Olá! Você já se olhou no espelho hoje? Já pensou em registrar o que vê? Na publicação de hoje a professora Daniela Maia faz um convite: Vamos fazer um autorretrato? E que tal produzir uma tinta pra lá de especial, "que cresce", para fazer esse registro? Quantas possibilidades! Acompanhem no vídeo essa conversa-convite que propõe um olhar atento e crítico ("perguntador") para seu rosto, formato, diferenças e similitudes e, especialmente, a história que carrega. Ah! Acompanhe também o passo a passo de produção da tinta. 


Os desenhos são registros de grande importância na construção da identidade das crianças, pois é por meio dos desenhos que elas "traduzem" o mundo a partir de seu olhar e suas experiências nele (e com ele). É por meio da pintura e do desenho, (também da literatura, do canto, do teatro, da música, entre tantas outras possibilidades)  que a criança pode expressar seus sentimentos, e suas impressões sobre tudo que a cerca, assim como afirma Pierre Levy

Toda linguagem artística é um modo singular do homem refletir seu estar no mundo. Quando o homem trabalha nessa linguagem, seu coração e sua mente atuam juntos em poética intimidade.

Nesse sentido o autorretrato é uma dessas poéticas que dão vida ao olhar de cada um(a) sobre si mesma(o). Para as crianças a proposta do autorretrato é bastante potente, afinal pode retratar quem é, sua identidade, seus traços e contornos, evidenciando como a criança se percebe. Se cabelos longos ou curtos, lisos ou enrolados, olhos claros ou castanhos, pele com ou sem pintinhas, formato da sobrancelha, enfim colaborando na construção de sua identidade.

Para inspirar e repertoriar as crianças em suas produções conheça alguns autorretratos de artistas plásticos que eternizaram suas obras como Monet e Tarsila do Amaral. Aproxime-se também do belo trabalho do muralista Eduardo Kobra, suas obras sempre muito tocantes, que clamam pela paz e respeito a diversidade. E ainda as obras de Arissana Pataxó, que retrata, lindamente, por meio das suas obras, a identidade do seu povo.

Para além de fazer o autorretrato com a tinta que podemos produzir, muitas outras experiências podem ser propostas às crianças, como: 

- Desenhar no espelho   - Desenhar no chão ou parede
- Desenhar em suportes de tamanhos diferentes (uma folha A4 ou numa cartolina, por exemplo)
- Desenhar em transparências
- Fazer interferências em fotos com canetas hidrográficas 
- Modelar, colar e tantas outras possibilidades.

Desafio #1: Por que, por que, por quê? 

Por que meu cabelo é enrolado? Por que dizem que me pareço com a meu pai? A história "Menina bonita do laço de fita" de Ana Maria Machado, nos ajuda a entender a construção da identidade. Vamos ouvir essa história?


Desafio #2: Espelho

O que o espelho tem para nos mostrar? Vamos cantar a aprender com "Os Grandes Pequeninos" na música "Espelho Meu". Agora é só apertar o play!


Assim como todas as nossas propostas aqui no blog, os desafios não são de caráter obrigatório e nem precisam ser realizados em um mesmo dia, são sugestões para dar continuidade a temática abordada, para diversificar a rotina, mantermos a nossa conexão com a escola e que podem ser complementadas de acordo com suas necessidades!

Não se esqueça de fazer filmagens, tirar fotografias e enviar via WhatsApp! Vocês podem também nos encontrar no Google Classroom (para aprender a acessar, clique aqui)! Convidamos todas e todos a preencher o nosso questionário: ele nos dará pistas para descobrir como poderemos auxiliá-los neste momento tão complicado!

Roteiro, texto, seleção de materiais, edição de vídeo e gif: Daniela Maia  
Vinheta: Fernanda Fusco
Efeitos sonoros: FreeSound.org
Trilha sonora: Daily Beetle (Kevin MacLeod - Incompetech)

Um comentário:

https://1.bp.blogspot.com/-6XvqrgRUtmE/XpAnsq0hy8I/AAAAAAAAOMM/XQaf2shwZRQ_UjLVPe3AFHYV0yisWRzRACLcBGAsYHQ/s1600/footer2.png