06 outubro 2020

Literatura de cordel e o Nordeste brasileiro

Olá! Nosso destino de hoje será o Nordeste brasileiro, em específico sua arte da literatura de cordel. O nome literatura de cordel tem origem na forma como, tradicionalmente, os folhetos são expostos para venda: pendurados em cordas. Alguns poemas são ilustrados com xilogravuras (assim como a proposta de isogravura, trazida pela professora Carla Bregola), também usadas nas capas. Os autores, ou cordelistas, recitam esses versos de forma melodiosa e cadenciada, acompanhados de viola, também fazem leituras ou declamações muito empolgadas e animadas. A professora Laís Pires, nos guiará nessa viagem pela literatura de cordel: 


Com origem em Portugal, a literatura de cordel chegou ao Brasil em fins do século XVIII , ganhando força a partir do século XIX, no interior nordestino. Além de recitarem a poesia os(as) cordelistas durante suas apresentações podem também usar instrumentos como a viola, o que torna a leitura ainda mais empolgante. 

As rimas são um traço marcante deste tipo de literatura que traz graça e ritmo para a história contada, estas histórias podem abordar os mais variados gêneros. Aqui no Brasil a literatura de cordel é uma produção artística típica da região Nordeste, sobretudo nos estados de Pernambuco, da Paraíba, do Rio Grande do Norte, do Ceará e da Bahia. Hoje também se faz presente em outros estados, como Rio de Janeiro, Minas gerais e aqui na nossa cidade, São Paulo.

Na literatura de cordel para crianças as histórias são contadas de forma divertida e tem como principal objetivo mexer com a sua imaginação. Além de trazer o conhecimento da cultura nordestina a literatura de cordel é uma porta para o conhecimento, assim como outros hábitos, o gosto pela leitura deve ser desenvolvido desde muito cedo, mesmo antes do processo de alfabetização, além de estimular a imaginação das crianças, estimula também a criatividade, a empatia, o raciocínio, o respeito, o desenvolvimento cognitivo e da linguagem, propicia uma visão de mundo mais ampliada e significativa, e colabora com o desenvolvimento integral da criança.

Desafio #1: Conhecer para criar

Deixamos por aqui mais uma inspiração, a história "A bagunça dos brinquedos", contada por Mari Bigio. Depois de ouvir a história, que tal convidar toda a família e propor criem uma história de cordel, a partir dos seus desenhos?



Desafio #2: Vamos brincar de rimar?

Num bate-papo, o programa Quintal da Cultura, nos conta tudinho sobre a literatura de cordel, especialmente sobre rimas. Você já ouviu falar em rimas? Já tentou rimar? Vamos juntos aprender mais e mais sobre o cordel nesse bate papo. Ah! E que tal pensar em rima a partir do seu nome, do nome de quem mora ai na sua casa com você! 

   
Assim como todas as nossas propostas aqui no blog, os desafios não são de caráter obrigatório e nem precisam ser realizados em um mesmo dia, são sugestões para dar continuidade a temática abordada, para diversificar a rotina, mantermos a nossa conexão com a escola e que podem ser complementadas de acordo com suas necessidades!

Não se esqueça de fazer filmagens, tirar fotografias e enviar via WhatsApp! Vocês podem também nos encontrar no Google Classroom (para aprender a acessar, clique aqui)! Convidamos todas e todos a preencher o nosso questionário: ele nos dará pistas para descobrir como poderemos auxiliá-los neste momento tão complicado!

Roteiro, texto, seleção de materiais: Laís Pires 
Edição de vídeo e vinheta: Fernanda Fusco
Efeitos sonoros: FreeSound.org
Trilha sonora: Daily Beetle (Kevin MacLeod - Incompetech)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

https://1.bp.blogspot.com/-6XvqrgRUtmE/XpAnsq0hy8I/AAAAAAAAOMM/XQaf2shwZRQ_UjLVPe3AFHYV0yisWRzRACLcBGAsYHQ/s1600/footer2.png